Diagnóstico socioambiental da microbacia Anhumas no município de Pouso Alegre - MG

Visualizações: 77

Autores

DOI:

https://doi.org/10.59824/rmrh.v3i.231

Palavras-chave:

Uso e ocupação do solo, Recursos hídricos, Saneamento básico

Resumo

A intensa atividade antrópica, como uso incorreto do solo, agricultura, pecuária, falta de saneamento básico e desmatamento, provoca incontáveis problemas em bacias hidrográficas, comprometendo o equilíbrio dos ecossistemas, a qualidade da água, e, consequentemente, a saúde e o bem-estar da população. Para assegurar a conservação nessas áreas, é preciso adquirir conhecimentos sobre aspectos socioambientais, desde escalas menores, como microbacias. Diante disso, objetivou-se realizar um diagnóstico socioambiental da microbacia Anhumas, inserida na sub-bacia do Rio Mandu, em Pouso Alegre - MG. O instrumento de coleta de dados foi um questionário aplicado aos moradores maiores de 18 anos. O questionário foi respondido por 80 moradores, sendo um representante de cada propriedade rural visitada. Verificou-se que a maioria das propriedades possui cisternas instaladas, que é um modelo de captação de água sustentável. A baixa utilização de mina d’água e a ocorrência de nascentes somente em 22,5% das propriedades revela a importância de ações de educação ambiental na região sobre a preservação de nascentes, visto que nem todas as propriedades possuem Área de Proteção Permanente conservadas. Em áreas rurais brasileiras, é comum a adoção de sistemas de coleta ou tratamento do esgoto mais simples, como fossa séptica e até mesmo sistemas inadequados, como fossas rudimentares. Verifica-se precariedade nos tratamentos de efluentes gerados na microbacia Anhumas, com maior utilização fossa rudimentar, o que provoca danos ao meio ambiente e à saúde pública. Os resultados obtidos neste trabalho podem subsidiar projetos e políticas públicas sobre recursos hídricos, restauração florestal, saneamento básico e agricultura sustentáveis na região.

 

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ANDRADE, A. M. C.; ANDRADE, C. C. A. Poço artesiano: avaliação da qualidade da água que abastece a zona rural no município de Calçado-PE. In: SILVA, H. C. (org.). Demandas essenciais para o avanço da engenharia sanitária e ambiental 4. Ponta Grossa: Atena Editora, 2020. p. 25-37. DOI: https://doi.org/10.22533/at.ed.5232021012

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. ABNT NBR 7229: projeto, construção e operação de sistemas de tanques sépticos. Rio de Janeiro: ABNT, 1993.

BOLETIM DE PESQUISA E DESENVOLVIMENTO. Sete Lagoas: Embrapa Milho e Sorgo, 2019. Disponível em: https://www.embrapa.br/busca-de-publicacoes/-/publicacao/1112264/alocacao-de-barraginhas-com-uso-de-modelagem-hidrologica-e-geoprocessamento. Acesso em: 25 out. 2021.

BRASIL. Lei nº 9.433, de 8 de janeiro de 1997. Institui a Política Nacional de Recursos Hídricos, cria o Sistema Nacional de Gerenciamento de Recursos Hídricos, regulamenta o inciso XIX do art. 21 da Constituição Federal, e altera o art. 1º da Lei nº 8.001, de 13 de março de 1990, que modificou a Lei nº 7.990, de 28 de dezembro de 1989. Diário Oficial da União, Brasília, 09 jan. 1997. p.470. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l9433.htm. Acesso em: 25 out. 2021.

BRASIL. Lei n. 12.651, de 25 de maio de 2012. Dispõe sobre a proteção da vegetação nativa; altera as Leis nºs 6.938, de 31 de agosto de 1981, 9.393, de 19 de dezembro de 1996, e 11.428, de 22 de dezembro de 2006; revoga as Leis nºs 4.771, de 15 de setembro de 1965, e 7.754, de 14 de abril de 1989, e a Medida Provisória nº 2.166-67, de 24 de agosto de 2001; e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, 28 maio 2012a. p.1. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2011-2014/2012/lei/l12651.htm. Acesso em: 25 out. 2021.

BRASIL. Decreto nº 7.830 de 17 de outubro de 2012. Dispõe sobre o Sistema de Cadastro Ambiental Rural, o Cadastro Ambiental Rural, estabelece normas de caráter geral aos Programas de Regularização Ambiental, de que trata a Lei nº 12.651, de 25 de maio de 2012, e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, 18 dez. 2012b. p.5, col. 1. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2011-2014/2012/decreto/d7830.htm. Acesso em: 25 out. 2021.

BRITO, S. L; PEREIRA, O. A. V. Relação entre parâmetros socioeconômicos, ambientais e de qualidade de água na bacia hidrográfica do Rio Paraíba do Sul – Minas Gerais, Brasil. Revista Mineira de Recursos Hídricos, Belo Horizonte, v. 2, p. 1-21, 2021. Disponível em: http://rmrh.igam.mg.gov.br/ojs3/index.php/NM/article/view/45. Acesso em: 25 out. 2021.

CAMPOS, K. B. G.; RAMIRES, I.; PAULA, S. M. Influência do uso e ocupação do solo nos recursos hídricos de Quatro Córregos na região de Caarapó- MS. Revista de Ciências Ambientais, Canoas, v.5, n.2, p. 77-92, 2011. DOI: http://dx.doi.org/10.18316/263. Disponível em: https://revistas.unilasalle.edu.br/index.php/Rbca. Acesso em: 25 out. 2021.

COMPANHIA DE SANEAMENTO DE MINAS GERAIS (COPASA). Programa Pró Mananciais. Disponível em: https://www.copasa.com.br/wps/portal/internet/meio-ambiente/pro-mananciais. Acesso em: 25 out. 2021.

EMPRESA BRASILEIRA DE PESQUISA AGROPECUÁRIA (EMBRAPA). Barraginhas: água de chuva para todos. Brasília, DF: Embrapa Informação Tecnológica, 2009. Disponível em: https://ainfo.cnptia.embrapa.br/digital/bitstream/item/128246/1/ABC-Barraginhas-agua-de-chuva-para-todos-ed01-2009.pdf. Acesso em: 25 out. 2021.

EMPRESA BRASILEIRA DE PESQUISA AGROPECUÁRIA (EMBRAPA). Variação geográfica do saneamento básico no Brasil em 2010: domicílios urbanos e rurais. Brasília, DF: Embrapa, 2016. Disponível em: https://www.embrapa.br/busca-de-publicacoes/-/publicacao/1063680/variacao-geografica-do-saneamento-basico-no-brasil-em-2010-domicilios-urbanos-e-rurais. Acesso em: 25 out. 2021.

FUNDAÇÃO ESTADUAL DO MEIO AMBIENTE (Minas Gerais). Mapa de solos do estado de Minas Gerais. 1 mapa, color. Escala: 1: 650.000. Disponível em: http://www.feam.br/images/stories/2015/SOLOS/hd-mapa_solos_folha3.jpg. Acesso em: 25 out. 2021.

FRANCESCHINI, G. Tecnologias de baixo custo para tratamento de esgoto rural: reator UASB e fossa séptica econômica. 2019. 126 f. Tese (Doutorado em Agronomia) – Faculdade de Ciências Agronômicas, Universidade Estadual Paulista “Júlio Mesquita Filho”, Botucatu, 2018.

GOUVÊA, O. M. A história de Pouso Alegre. Pouso Alegre: Gráfica Amaral, 2004.

GUERRA, A. J. T.; SILVA, A. S.; BOTELHO, R. G. M. Erosão e conservação dos solos: conceitos, temas e aplicações. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2012.

INSTITUTO MINEIRO DE GESTÃO DAS ÁGUAS (IGAM). Plano de Recursos Hídricos. Disponível em:

http://www.igam.mg.gov.br/gestao-das-aguas/plano-de-recursos-hidricos. Acesso em: 31 out. 2021.

LANGE, W. J.; WISE, R. M.; FORSYTH, G. G.; NAHMAN, A. Integrating socio-economic and biophysical data to support water allocations within river basins: an example from the Inkomati Water Management Area in South Africa. Environmental Modelling & Software, Amsterdam, v. 25, n. 1, p. 43-50, jan. 2010. Disponível em: https://www.sciencedirect.com/science/article/abs/pii/S1364815209001443. Acesso em: 25 out. 2021. DOI: https://doi.org/10.1016/j.envsoft.2009.06.011

LIMA, L. S. de. Implementação de um modelo hidrológico distribuído na plataforma de modelagem Dinamica EGO. 2011. 95 f. Dissertação (Mestrado em Análise e Modelagem de Sistemas Ambientais) – Instituto de Geociências, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2011. Disponível em: https://repositorio.ufmg.br/handle/1843/MPBB-8JPPT4. Acesso em: 25 out. 2021.

MARTINS, F. B. et al. Classificação climática de Köppen e de Thornthwaite para Minas Gerais: cenário atual e projeções futuras. Revista Brasileira de Climatologia, Curitiba, ed. esp. Dossiê Climatologia de Minas Gerais, p. 129-156, nov. 2018. DOI: http://dx.doi.org/10.5380/abclima.v1i0.60896. Disponível em: https://revistas.ufpr.br/revistaabclima/article/view/60896. Acesso em: 25 out. 2021. DOI: https://doi.org/10.5380/abclima.v1i0.60896

MINAS GERAIS. Lei n° 13.199 de 29 de janeiro de 1999. Dispõe sobre a Política Estadual de Recursos Hídricos e dá outras providências. Diário Executivo de Minas Gerais, Belo Horizonte, 30 jan. 1999. Disponível em: https://progestao.ana.gov.br/portal/progestao/panorama-dos-estados/mg/lei-no13-199-99_mg.pdf. Acesso em: 25 out. 2021.

MOURA NETTO, C.; GUISSO, S. M.; SCHAFFER, L. J. Avaliação da destinação final do esgoto doméstico na região alta da bacia hidrogáfica do Rio Santa Maria da Vitória – ES / Brasil. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE GESTÃO AMBIENTAL, 10, 2019, Fortaleza. Anais [...]. Fortaleza: IBEAS, 2019. p. 1-10. Disponível em: https://www.ibeas.org.br/congresso/Trabalhos2019/VIII-065.pdf. Acesso em: 25 out. 2021.

NASCIMENTO, L. S. Sistema de fossa séptica biodigestora como tecnologia de saneamento básico em comparação ao sistema de fossa negra. In: GUILHERME, W. D. (org.). A produção do conhecimento nas ciências sociais aplicadas 5. Ponta Grossa: Atena Editora, 2019. p. 389-402. DOI: https://doi.org/10.22533/at.ed.96819260430

NÚCLEO ESTRATÉGICO INTERDISCIPLINAR DE RESILIÊNCIA URBANA (NEIRU). Plano Municipal de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos Pouso Alegre: produto 3 diagnóstico. Itajubá, 2021. Versão prévia. Disponível em: https://pousoalegre.mg.gov.br/imagens/image/noticias/PRODUTO%203%20-%20Diagn%C3%B3stico%20-%20PMGIRS%20PA%20[VP]%20-%20REV00.pdf. Acesso em: 25 out. 2021.

OLIVEIRA, D. H. R.; ACORSI, M. G.; SMANIOTTO, D. A. Uso e ocupação do solo e caracterização morfométrica de microbacia na região centro-sul paranaense. Águas Subterrâneas – Seção Estudos de Caso e Notas Técnicas, São Paulo, v. 32, n.2, p. 1-10, 2018. DOI: http://dx.doi.org/10.14295/ras.v32i2.29114. Disponível em: https://aguassubterraneas.abas.org/asubterraneas/article/view/29114/18868. Acesso em: 25 out. 2021. DOI: https://doi.org/10.14295/ras.v32i2.29114

OLIVEIRA FILHO, E. R. Revitalização por barraginha na bacia hidrográfica do Rio Urucuia - Minas Gerais. Humboldt - Revista de Geografia Física e Meio Ambiente, Rio de Janeiro, v.1, n.1, p. 2-20, 2020. Disponível em: https://www.e-publicacoes.uerj.br/index.php/humboldt/article/view/52457/35552. Acesso em: 25 out. 2021.

PIERONI, J. P. et al. Avaliação do estado de conservação de nascentes em microbacias hidrográficas. Revista Geociências, São Paulo, v. 38, n. 1, p. 185-193, 2019. Disponível em: https://ppegeo.igc.usp.br/index.php/GEOSP/article/view/13374/12967. Acesso em: 25 out. 2021. DOI: https://doi.org/10.5016/geociencias.v38i1.12477

POUSO ALEGRE (MG). Prefeitura Municipal. Projeto “nossa água, nosso futuro” inicia pagamento a produtores rurais habilitados. Disponível em: https://pousoalegre.mg.gov.br/noticias-detalhe.asp?id_not=1974. Acesso em: 25 out. 2021.

RHEINHEIMER, D. S.; GONÇALVEZ, C. S.; PELLEGRINI, J. B. R. Impacto das atividades agropecuárias na qualidade da água. Ciência & Ambiente, Santa Maria, v.27, n.2, p.85-96, 2003.

ROCHA, I. A. et al. O princípio da informação no cadastro ambiental rural e o planejamento de políticas públicas. P2P & Inovação, Rio de Janeiro, ed. esp., v.7, p. 101-117, jan. 2021. DOI: https://doi.org/10.21721/p2p.2021v7n1.p101-117. Disponível em: http://revista.ibict.br/p2p/article/view/5576/5165. Acesso em: 25 out. 2021. DOI: https://doi.org/10.21721/p2p.2021v7n1.p101-117

ROCHA, J. S. M. R. da. Manual de projetos ambientais. Santa Maria: UFSM, 1997.

ROCHA, J. S. M. da; KURTZ, S. M. J. M. Manual de manejo integrado de bacias hidrográficas. Santa Maria: UFSM, 2001.

ROCHA, A. A.; VIANNA, P. C. G. A bacia hidrográfica como unidade de gestão da água. In: SEMINÁRIO LUSO-BRASILEIRO AGRICULTURA FAMILIAR E DESERTIFICAÇÃO, 2., 2008, João Pessoa. Anais [...]. João Pessoa: Ed. Universitária da UFPB, 2008. Disponível em: http://www.geociencias.ufpb.br/leppan/gepat/files/gepat022.pdf. Acesso em: 25 out. 2021.

ROCHA-NICOLEITE, E. et al. Mata ciliar: implicações técnicas sobre a restauração após mineração de carvão. Criciúma: SATC, 2013.

SANTOS, E. H. M. dos; GRIEBELER, N. P.; OLIVEIRA, L. F. C. de. Relação entre uso do solo e comportamento hidrológico na Bacia Hidrográfica do Ribeirão João Leite. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental, Campina Grande, v.14, n. 8, p. 826-834, 2010. DOI: https://doi.org/10.1590/S1415-43662010000800006. Disponível em: https://www.scielo.br/j/rbeaa/a/vbWrQ57Pf7SF5tbx6pmxPNq/?format=pdf&lang=pt. Acesso em: 25 out. 2021. DOI: https://doi.org/10.1590/S1415-43662010000800006

SANTOS, I. V. V. de S. Biodigestão anaeróbia dos resíduos da agroindústria de citrus em consórcio com dejetos de suínos. 2016. 51 f. Dissertação (Mestrado Profissional em Energia da Biomassa) – Centro de Ciências Agrárias, Universidade Federal de Alagoas, Rio Largo, 2016.

SANTOS, E. L. et al. Uma alternativa energética e ambientalmente sustentável ao agricultor familiar: dia de campo sobre biodigestores rurais. Diversitas Journal, Santana do Ipanema, v. 2, n. 1, p. 32-38, jan./abr. 2017. DOI: https://doi.org/10.17648/diversitas-journal-v2i4.489 Disponível em: https://diversitasjournal.com.br/diversitas_journal/article/view/489/397. Acesso em: 25 out. 2021. DOI: https://doi.org/10.17648/diversitas-journal-v2i4.489

SILVA, R. T. Manual de direito Ambiental. Salvador: Juspodivm, 2021.

SOUSA, J. V. de. Sustentabilidade ambiental: análise da degradação e perturbação ambiental na mata ciliar do Rio Mandu, município de Pouso Alegre (MG). 2012. 167 f. Tese (Doutorado em Geografia) – Instituto de Geociências e Ciências Exatas, Universidade Estadual Paulista “Júlio Mesquita Filho”, Rio Claro, 2012. Disponível em: https://repositorio.unesp.br/handle/11449/104451. Acesso em: 25 out. 2021.

Downloads

Publicado

2022-04-28

Como Citar

BALBINO, J. da S.; BRAZ, F. S.; MONTEIRO, V. da F. C. Diagnóstico socioambiental da microbacia Anhumas no município de Pouso Alegre - MG. Revista Mineira de Recursos Hídricos, Belo Horizonte, v. 3, n. 1, 2022. DOI: 10.59824/rmrh.v3i.231. Disponível em: https://periodicos.meioambiente.mg.gov.br/NM/article/view/231. Acesso em: 1 mar. 2024.