Diagnóstico do saneamento rural na microrregião de Governador Valadares – Minas Gerais

Visualizações: 787

Autores

DOI:

https://doi.org/10.59824/rmrh.v4.260

Palavras-chave:

Água Potável, Bacia do Rio Doce, Zona Rural, Esgoto

Resumo

Saneamento é fator essencial para assegurar a melhoria na qualidade de vida das pessoas, sobretudo na perspectiva da prevenção de doenças, porém o acesso a esses serviços ainda está longe do ideal. Embora seja uma necessidade básica, sua efetivação apresenta um grande desafio ao poder público. As populações das áreas rurais e dos pequenos municípios permanecem à margem do Estado brasileiro, carecendo de ações e serviços públicos para o desenvolvimento humano. Nesse sentido, essa pesquisa teve por objetivo diagnosticar as condições dos serviços de saneamento rural na microrregião de Governador Valadares, no estado de Minas Gerais, com foco no abastecimento de água potável e esgotamento sanitário, realizando levantamento de dados e informações sobre o saneamento de cada município. Com base nos resultados, foi possível perceber a carência da população rural à oferta de serviços adequados de saneamento básico e uma relevante preocupação, tendo em vista que a maior parte dos domicílios rurais utilizam para consumo abastecimento de água proveniente de poço ou nascente e para disposição final do esgoto fossas rudimentares, confirmando a precária realidade do saneamento rural do país. Ademais, verificou-se, como a falta de acesso a esses serviços impacta na saúde dessa população e no Sistema Único de Saúde. Por fim, conclui-se que há a necessidade de implementar melhorias no sistema de saneamento básico adequadas às realidades locais na microrregião da pesquisa, bem como soluções alternativas nas propriedades, a fim de minimizar o déficit pela falta de acesso a esses serviços.

Keywords: Potable water. Wastewater. Countryside. Rio Doce Valley.

 

ABSTRACT

Sanitation is an essential factor to ensure improvement in people's quality of life, especially from the perspective of disease prevention. Nonetheless,access to these services is still far from ideal. Although it is a basic need, its implementation presents a great challenge to public authorities. Populations of rural areas and small municipalities remain on the edge of Brazilian State, in need of policies, actions and services for proper human development. In this sense, this research aimed to diagnose the conditions of rural sanitation services in the micro-region of Governador Valadares, in the state of Minas Gerais, focusing on the supply of potable water and sanitary sewage. It was carried out a survey ondata and information about sanitation ineachmunicipality.Based on the results, it was possible to observe that the rural population's lack of provision in terms of adequate basic sanitation services is a relevant concern, considering that 59.2% of rural households use water supply from a well or spring for consumption. Moreover, only 26.4%of them give sewagea proper final disposal. Therefore, the precarious reality of rural sanitation in the countryis confirmed. Furthermore, it was verified how the lack of access to these servicesreflects not only onthe population health,but also on the National Public Health System(SUS). The conclusion is thatimprovement in the sanitation system considering the reality of the researched microregion is needed. Moreover, alternative solutions must be found for the properties, in order to minimize the deficit due to the lack of access to sanitation services. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Sônia Silva de Souza, Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia de Minas Gerais (IFMG). Campus Governador Valadares

Tecnóloga em Gestão Ambiental pelo Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia de Minas Gerais - Campus Governador Valadares (IFMG).

Arnaldo Jose Cambraia Neto, Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia de Minas Gerais (IFMG). Campus Governador Valadares

Professor EBTT Engenharia Ambiental e Sanitária pelo Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia de Minas Gerais, Campus Governardor Valsdares (IFMG). Mestre em Engenharia Agrícola (Linha de Pesquisa em Recursos Hídricos e Ambientais) pela Universidade Federal de Viçosa (UFV). Egenheiro Ambiental pela Universidade Federal de Viçosa (UFV).  Especialista (Latu Sensu) em Engenharia de Segurança do Trabalho pela Universidade Cruzeiro do Sul - São Paulo/SP. 

Referências

AGUDO, P. A. Crisis global del agua: valores y derechos em juego. Barcelona: Centre d’estudis Cristianisme i Justícia, 2010. (Cuadernos nº 168). Disponível em: https://www.fnca.eu/guia-nueva-cultura-delagua/images/documents/Patrimonio/Crisis_global_del_agua.pdf. Acesso em: 20 maio 2023.

ALIER, Juan Martinez. Economia ecológica: levando em consideração a natureza. In: ALIER,

J. M. O ecologismo dos pobres: conflitos ambientais e linguagens de valoração. São Paulo: Editora Contexto, 2007. p. 41-88.

BRASIL. Lei nº 11.445, de 05 de janeiro de 2007. Estabelece as diretrizes nacionais para o saneamento básico; cria o Comitê Interministerial de Saneamento Básico; altera as Leis nos 6.766, de 19 de dezembro de 1979, 8.666, de 21 de junho de 1993, e 8.987, de 13 de fevereiro de 1995; e revoga a Lei nº 6.528, de 11 de maio de 1978. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2007-2010/2007/Lei/L11445.htm. Acesso em: 25 maio 2023.

BRASIL. Lei nº 14.026, de 15 de julho de 2020. Atualiza o marco legal do saneamento básico e altera a Lei nº 9.984, de 17 de julho de 2000, para atribuir à Agência Nacional de Águas e Saneamento Básico (ANA) competência para editar normas de referência sobre o serviço de saneamento, a Lei nº 10.768, de 19 de novembro de 2003, para alterar o nome e as atribuições do cargo de Especialista em Recursos Hídricos, a Lei nº 11.107, de 6 de abril de 2005, para vedar a prestação por contrato de programa dos serviços públicos de que trata o art. 175 da Constituição Federal, a Lei nº 11.445, de 5 de janeiro de 2007, para aprimorar as condições estruturais do saneamento básico no País, a Lei nº 12.305, de 2 de agosto de 2010, para tratar dos prazos para a disposição final ambientalmente adequada dos rejeitos, a Lei nº 13.089, de 12 de janeiro de 2015 (Estatuto da Metrópole), para estender seu âmbito de aplicação às microrregiões, e a Lei nº 13.529, de 4 de dezembro de 2017, para autorizar a União a participar de fundo com a finalidade exclusiva de financiar serviços técnicos especializados. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2019-2022/2020/Lei/L14026.htm. Acesso em: 20 maio 2023.

BRASIL. Ministério da Saúde. Informações de Saúde. 2019. Banco de Dados do Sistema Único de Saúde (DATASUS). Disponível em: https://datasus.saude.gov.br/saneamento-censos-1991-2000-e-2010. Acesso em: 20 abr. 2023.

BRASIL. Ministério do Desenvolvimento Regional. Secretaria Nacional de Saneamento. Plano Nacional do saneamento Básico – PLANSAB: Relatório de Avaliação Anual 2020. Brasília: SNS, 2022. Disponível em: https://www.gov.br/cidades/pt-br/acesso-a-informacao/acoes-e-programas/saneamento/plano-nacional-de-saneamento-basico-plansab/arquivos/relatriodeavaliaoanualdoplansab2020.pdf. Acesso em: 10 abr. 2023.

BRASIL. Ministério do Desenvolvimento Regional. Secretaria Nacional do Saneamento. Sistema Nacional de Informações sobre Saneamento (SNIS). Diagnóstico temático serviços de água e esgoto: visão Geral - ano de referência 2020. Brasília: SNS; SNIS, 2021. 90 p. Disponível em: http://antigo.snis.gov.br/downloads/diagnosticos/ae/2020/DIAGNOSTICO_TEMATICO_VISAO_GERAL_AE_SNIS_2021.pdf. Acesso em: 09 out. 2023.

BORGES, M. F. M. R.; DE MIRANDA NETO, S. R. O direito humano ao saneamento básico, desigualdades de gênero e as normas de referência da ANA. Journal of Law and Regulation, Brasília, v. 9, n. 1, p. 476-493, 2023. Disponível em: https://periodicos.unb.br/index.php/rdsr/article/view/44493. Acesso em: 31 maio 2023.

CASTRO, C.N. de; CEREZINI, M. T. Saneamento rural no Brasil: a universalização é possível? Rio de Janeiro: Ipea, 2023. 66 p. (Texto para Discussão, 2875). Disponível em: https://repositorio.ipea.gov.br/bitstream/11058/11979/1/TD_2875_web.pdf. Acesso em: 28 maio 2023.

COELHO, A. L. N. Bacia hidrográfica do Rio Doce (MG/ES): uma análise socioambiental integrada. Geografares, Vitória, n. 7, 2009. DOI: https://doi.org/10.7147/GEO7.156. Disponível em: https://periodicos.ufes.br/geografares/article/view/156. Acesso em: 03 fev. 2023.

COMITÊ DA BACIA HIDROGRÁFICA DO RIO DOCE (CBH – DOCE). A Bacia. Disponível em: https://www.cbhdoce.org.br/institucional/a-bacia. Acesso em: 10 abr. 2023.

COMPREHENSIVE ASSESSMENT OF WATER MANAGEMENT IN AGRICULTURE. Water for food, water for life: a comprehensive assessment of water management in agriculture. London: Earthscan; Colombo: International Water Management Institute. 2007. Disponível em: https://www.iwmi.cgiar.org/assessment/files_new/synthesis/Summary_SynthesisBook.pdf. Acesso em: 10 abr. 2023.

EMPRESA BRASILEIRA DE PESQUISA AGROPECUÁRIA (EMBRAPA). Saneamento básico rural. 2021. Disponível em: https://www.embrapa.br/tema-saneamento-basico-rural. Acesso em: 28 maio 2023.

ESPÍNDOLA, H. S. Vale do Rio Doce: fronteira, industrialização e colapso socioambiental. Fronteiras: Journal of Social, Technological and Environmental Science, Anapólis, v. 4, n. 1, p. 160-206, 2015. Disponível em: http://periodicos.unievangelica.edu.br/index.php/fronteiras/article/view/1287. Acesso em: 1 set. 2023.

FORUM NACIONAL DA SOCIEDADE CIVIL NA GESTAO DE BACIAS HIDROGRAFICAS (FONASC-CBH). Afinal qual a diferença entre poço artesiano, poço semiartesiano e poço caipira? 2022. Disponível em: https://fonasc-cbh.org.br/?p=25005. Acesso em: 30 ago. 2023.

FONGARO, G. et al. The presence of SARS-CoV-2 RNA in human sewage in Santa Catarina, Brazil, november 2019. Science of the Total Environment, Amsterdã, v. 778, p. 146198, 2021. Disponível em: https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/33714813/. Acesso em: 10 abr. 2023.

FUNDAÇÃO NACIONAL DE SAÚDE (Brasil) - FUNASA. Manual de saneamento. 5. ed. Brasília: Funasa, 2019a. 545 p. Disponível em: https://repositorio.funasa.gov.br/bitstream/handle/123456789/506/Manual_de_Saneamento_Funasa_5a_Edicao.pdf?sequence=1&isAllowed=y. Acesso em: 10 fev. 2023.

FUNDAÇÃO NACIONAL DE SAÚDE (Brasil) - FUNASA. Manual Funasa de boas práticas na gestão de saneamento em áreas rurais. Brasília: Funasa, 2017. 77 p. Disponível em: https://www.funasa.gov.br/documents/20182/84474/Manual+Funasa+de+Boas+Praticas_PNS R.pdf/026b9eb6-7388-4754-a599-85ff6a1cbeb0. Acesso em: 10 fev. 2023.

FUNDAÇÃO NACIONAL DE SAÚDE (Brasil) - FUNASA. Programa Nacional de Saneamento Rural. Brasília: Funasa, 2019c. 260 p. Disponível em: http://www.funasa.gov.br/biblioteca-eletronica/publicacoes/engenharia-de-saude-publica/-/asset_publisher/ZM23z1KP6s6q/content/programa-nacional-de-saneamento-rural-pnsr-?inheritRedirect=false. Acesso em: 10 fev. 2023.

GARRIDO, J. et al. Estudo de modelos de gestão de serviço de abastecimento de água no meio rural no Brasil: parte I relatório principal. Brasília: Banco Mundial, 2016. 112 p. (Série Água Brasil, n. 13).

HOHMANN, A. C. C. Regulação e Saneamento na Lei Federal nº 11.445/07. Revista Jurídica da Procuradoria Geral do Estado do Paraná, Curitiba, v. 3, n. 3, p. 211-244, 2012. Disponível em: https://www.pge.pr.gov.br/sites/default/arquivos_restritos/files/documento/2019-10/2012-09Artigo_8_Regulacao_e_saneamento.pdf. Acesso em: 27 ago. 2023.

INFOSANBAS. Informações contextualizadas sobre saneamento no Brasil. 2023. Base de dados. Disponível em: https://infosanbas.org.br/. Acesso em: 10 mar. 2023.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA (IBGE). Atlas de saneamento: abastecimento de água e esgotamento sanitário. Rio de Janeiro: IBGE, 2021. Disponível em: https://www.ibge.gov.br/apps/atlas_saneamento/#/home. Acesso em: 15 mar. 2023.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA (IBGE). Censo Agropecuário: resultados definitivos 2017. Rio de Janeiro: IBGE, 2019. Disponível em: https://censoagro2017.ibge.gov.br/. Acesso em: 20 abr. 2023.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA (IBGE). Censo Brasileiro de 2010. Rio de Janeiro: IBGE, 2012. Disponível em: https://censo2010.ibge.gov.br/. Acesso em: 06 mar. 2023

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA (IBGE). Classificação e caracterização dos espaços rurais e urbanos do Brasil: uma primeira aproximação. Rio de Janeiro: IBGE, 2017. Disponível em: https://www.ibge.gov.br/geociencias/organizacao-do- territorio/tipologias-do-territorio/15790-classificacao-e-caracterizacao-dos-espacos-rurais-e- urbanos-do-brasil.html. Acesso em: 20 abr. 2023.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA (IBGE). PNAD - Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios. 2015. Disponível em: https://www.ibge.gov.br/estatisticas/sociais/educacao/9127-pesquisa-nacional-por-amostra-de-domicilios.html. Acesso em: 20 abr. 2023.

INSTITUTO TRATA BRASIL. Benefícios econômicos e sociais da expansão do saneamento no Brasil. 2022. Disponível em: https://tratabrasil.org.br/beneficios-economicos-e-sociais-da-expansao-do-saneamento-no-brasil/. Acesso em: 20 abr. 2023.

INSTITUTO TRATA BRASIL. Ranking do saneamento 2023. 2023. Disponível em: https://tratabrasil.org.br/ranking-do-saneamento-2023/. Acesso em: 20 abr. 2023.

INSTITUTO TRATA BRASIL; BRK AMBIENTAL. O saneamento e a vida da mulher brasileira. São Paulo: Trata Brasil, 2019. 90 p. Disponível em: https://tratabrasil.org.br/wp-content/uploads/2022/09/Relatorio_Completo_-_2022.pdf. Acesso em: 20 abr. 2023.

IRITANI, M. A. et al. Proposta de classificação das fontes potenciais de contaminação da água subterrânea. Revista do Instituto Geológico, São Paulo, v. 34, n. 2, p. 1-26, 2013.

MELO, J. E. P. de. Levantamento dos impactos inerentes à inadequação do saneamento básico. 2020. 53 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Engenharia Agrícola e Ambiental) – Universidade Federal Rural do Sem-Árido, Mossoró, 2020. Disponível em: https://repositorio.ufersa.edu.br/handle/prefix/5678?locale=es. Acesso em: 1 maio 2023.

MINAS GERAIS. Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (SEMAD). Desastre ambiental em Mariana e recuperação do Rio Doce. 2016. Disponível em: http://www.meioambiente.mg.gov.br/component/content/article/13-informativo/2879-desastre-ambiental-em-mariana-e-recuperacao-da-bacia-do-rio-doce. Acesso em: 10 abr.

MINAS GERAIS. Secretaria de Estado de Planejamento e Gestão (SEPLAG). Estado de Minas Gerais – meso e microrregiões do IBGE. Disponível em: https://www.mg.gov.br/sites/default/files/paginas/arquivos/2016/ligminas_10_2_04_listamesomicro.pdf. Acesso em: 10 abr. 2023.

NEVES-SILVA, P.; HELLER, L. O direito humano à água e ao esgotamento sanitário como instrumento para promoção da saúde de populações vulneráveis. Ciência & Saúde Coletiva, Rio de janeiro, v. 21, p. 1861-1870, 2016. DOI: https://doi.org/10.1590/1413-81232015216.03422016 . Disponível em: https://www.scielo.br/j/csc/a/jnhCmSSRJGFNPzB3QtKg4GN/?lang=pt. Acesso em: 10 abr. 2023.

NOVAES, A. P. de. et al. Utilização de uma fossa séptica biodigestora para melhoria do saneamento rural e desenvolvimento da agricultura orgânica. São Carlos, SP: Embrapa Instrumentação Agropecuária, 2002. 5 p. Disponível em: http://www.infoteca.cnptia.embrapa.br/infoteca/handle/doc/28989. Acesso em: 28 maio 2023.

OLIVEIRA, B. L. Gestão comunitária dos recursos hídricos e capita comunicacional: um estudo das sociedades de água de Marques Souza/RS. 2011. Dissertação (Mestrado) – Programa de Pós-Graduação em Meio Ambiente e Desenvolvimento, Centro Universitário Univates, Lajeado, 2011. Disponível em: http://hdl.handle.net/10737/291. Acesso em: 10 abr. 2023.

ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DA SAÚDE (OMS). Água, saneamento, higiene e gestão de resíduos para o vírus da COVID-19 (Orientações Provisórias. 23 de abril de 2020). 2020. Disponível em: https://apps.who.int/iris/bitstream/handle/10665/331846/WHO-2019-nCoV-IPC_WASH-2020.3-por.pdf. Acesso em: 26 abr. 2023.

PERONI, J. B.; CARVALHO, L. H.; LANNES, L. S. Aspectos de qualidade da água e saneamento básico em um assentamento rural no interior de São Paulo: diagnóstico e perspectivas para a melhoria da qualidade sócio-ambiental. Research, Society and Development, Vargem Grande Paulista, v. 10, n. 2, p. e1010212293, 2021. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/12293. Acesso em: 10 abr. 2023

PINOTTI, L. R. R.; CAMARGO, R.A.L; ALMEIDA, O. L. Experiência de fito remediação de água por jardim filtrante em assentamento rural na região de Córrego Rico–Jaboticabal/SP. Cadernos de Agroecologia, Rio de Janeiro, v. 15, n. 2, 2020. Disponível em: http://cadernos.aba-agroecologia.org.br/cadernos/article/view/3548. Acesso em: 24 jun. 2023.

PRÜSS-USTÜN, A. et al. Burden of disease from inadequate water, sanitation and hygiene for selected adverse health outcomes: An updated analysis with a focus on low- and middle- income countries. International journal of hygiene and environmental health, Amsterdã,v. 222, n. 5, p. 765-777, 2019. Disponível em: https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/31088724/. Acesso em: 10 abr. 2023.

ROLAND, N. et al. A ruralidade como condicionante da adoção de soluções de saneamento básico. Revista DAE, São Paulo, v. 67, n. 220, p. 15-35, 2019. Disponível em: http://revistadae.com.br/artigos/artigo_edicao_220_n_1828.pdf. Acesso em: 10 jun. 2023.

SANTOS, G.R. SANTANA, A.S. Gestão comunitária da água: soluções e dificuldades do saneamento rural no Brasil. Brasília: Rio de Janeiro: Ipea, 2020. Texto para Discussão (TD) 2601. Disponível em: https://repositorio.ipea.gov.br/handle/11058/10287?mode=full. Acesso em: 09 jun. 2023.

SCOTTÁ, J. Avaliação e otimização de uma estação de tratamento de esgoto com sistema fossa e filtro de um município da Serra Gaúcha. 2015. 83 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Engenharia Ambiental) – Centro de Ciências Exatas e Tecnologias, Centro Universitário Univates, Lajeado, 2015. Disponível em: https://www.univates.br/bduserver/api/core/bitstreams/e0a24180-f47f-45c2-818e-cabe6b749dec/content. Acesso em: 22 abr. 2023.

SILVA, B. B.; REZENDE, S. Social relations of gender in contexts of precarious water supply and their impacts on women in rural areas. Environmental Science & Policy, Amsterdã v. 135, p. 96-103, 2022. DOI: https://doi.org/10.1016/j.envsci.2022.04.014. Disponível em: https://www.sciencedirect.com/science/article/abs/pii/S1462901122001435?via%3Dihub. Acesso em: 10 abr. 2023.

SILVA, F. J. A. et al. Reuso de efluentes para fertirrigação: estudo de caso da ete action, cachoeiras de Macacu, RJ. Revista Delos - Desarrollo Local Sostenible, Curitiba, v. 16, n. 42, p. 276-299, 2023. Disponível em: https://ojs.revistadelos.com/ojs/index.php/delos/article/view/783. Acesso em: 10 jun. 2023.

SILVA, P. N. et al. Saneamento e saúde: saneamento: entre os direitos humanos, a justiça ambiental e a promoção da saúde. Rio de Janeiro: Fiocruz, 2018. 74 p. Série Fiocruz Documentos Institucionais. (Coleção saúde, ambiente e sustentabilidade, v.6).

SILVA, W. T. L. Saneamento básico rural. Brasília: 2014. 68 p. (ABC da Agricultura Familiar, n. 37). Disponível em: https://ainfo.cnptia.embrapa.br/digital/bitstream/item/128259/1/ABC-Saneamento-basico-rural-ed01-2014.pdf. Acesso em: 25 maio 2023.

SILVEIRA, K. A. et al. Contaminação no lençol freático por fossas rudimentares. Caderno Progressus, Curitiba, v. 3, n. 5, p. 40-47, 2023. Disponível em: https://www.cadernosuninter.com/index.php/progressus/article/view/2274. Acesso em: 07 jul. 2023.

SIMÕES, M. W. S. A transferência da gestão hospitalar à organização social de saúde (OSS) como alternativa de melhoria dos serviços prestados em hospital público do município de Governador Valadares. 2019. 43 p. Trabalho de Conclusão de Curso (Especialização Gestão Pública, com ênfase em Governo Local) – Escola Nacional de Administração Pública, Brasília, 2020. Disponível em: https://repositorio.enap.gov.br/handle/1/4433. Acesso em: 09 maio 2023.

SOARES, W. Governador Valadares e Sertões do Leste: recortes temporais resultantes da tensão entre processos de ordem vasta e de ordem local. Revista Geografias, Belo Horizonte, p. 138-150, 2016. Disponível em: https://periodicos.ufmg.br/index.php/geografias/article/view/13471. Acesso em: 27 set. 2023.

UHR, J. G. Z.; SCHMECHEL, M.; UHR, D. de A. P. Relação entre saneamento básico no Brasil e saúde da população sob a ótica das internações hospitalares por doenças de veiculação hídrica. Revista de Administração, Contabilidade e Economia da Fundace, Ribeirão Preto, v. 7, n. 2, p. 1-16, 2016. Disponível em: https://www.fundace.org.br/revistaracef/index.php/racef/article/view/104. Acesso em: 10 abr. 2023.

VILLALOBOS, T. CLOCSAS: antecedentes evolución y potencialidades. Panamá: AECID; Cooperación Española, 2017. 72 p.

VON SPERLING, M. Introdução à qualidade das águas e ao tratamento de esgotos. Belo Horizonte: DESA-UFMG, 2005. 452 p. (Princípios do Tratamento Biológico de Águas Residuárias, v. 1).

WADA, Y. et al. Modeling global water use for the 21st century: the water futures and solutions initiative and its approaches. Geoscientific Model Development, Germany, v.9, p.175-222, 2016. Disponível em: https://gmd.copernicus.org/articles/9/175/2016/. Acesso em: 09 out. 2023.

WALLER, R. M. Ground water and the rural homeowner. Washington, D.C.: USGS Science for changing world, 2016.

WORLD WATER ASSESSMENT PROGRAMME (WWAP). Relatório mundial das Nações Unidas sobre o desenvolvimento dos recursos hídricos, 2017: Águas residuais: o recurso inexplorado, resumo executivo. 2017a. Disponível em: https://unesdoc.unesco.org/ark:/48223/pf0000247552_por. Acesso em: 21 abr. 2023.

WORLD WATER ASSESSMENT PROGRAMME (WWAP). The United Nations World Water Development Report 2017: wastewater: the untapped resource. Paris: UNESCO, 2017b. Disponível em: https://www.unwater.org/publications/un-world-water-development-report-2017. Acesso em: 09 out. 2023.

XAVIER, I. R. et al. Impactos da ausência de saneamento na saúde da mulher. Revista Científica Rumos da inFormação, São Mateus, ES, v. 2, n. 2, p. 17-25, 2021. Disponível em: https://rumosdainformacao.ivc.br/index.php/rumosdainformacao/article/view/33. Acesso em: 09 out. 2023.

Downloads

Publicado

2023-10-17

Como Citar

SOUZA, S. S. de; CAMBRAIA NETO, A. J. Diagnóstico do saneamento rural na microrregião de Governador Valadares – Minas Gerais. Revista Mineira de Recursos Hídricos, Belo Horizonte, v. 4, p. e023002, 2023. DOI: 10.59824/rmrh.v4.260. Disponível em: https://periodicos.meioambiente.mg.gov.br/NM/article/view/260. Acesso em: 15 jul. 2024.